sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Zeca Camargo, por que não te calas?

Hoje eu estava a ouvir Altemar Dutra. Sim, eu não coloco minha descrição aqui do lado à toa. Eu tenho uma alma bem velha, bem à moda de Dorian Grey (com um pouco menos de pecados do que o próprio) e amo os boleros brasileiros. Dessa maneira, eu também escuto muitas canções do filho dele, o Altemar Dutra Jr., cuja a herança genética não pode ser questionada, o timbre de voz é bem parecido mesmo. E é neste ponto que lanço uma pergunta:

Entre Altemar Dutra e Altemar Dutra Jr., quem você prefere? Você teria coragem e a prepotência de comparar um com o outro e menosprezar o mais novo por ter uma voz parecida e também ser um cantor?

Se você é sensível, tem bom senso e classe, mesmo que seu âmago nutra algum tipo de espinhosa rejeição por heranças genéticas marcantes, em hipótese alguma isto tornaria-se público, não é mesmo? A não ser que... Você seja o Zeca Camargo.

Esta criatura, conhecida pelo seu repertório de afrontas e desserviços ao jornalismo, foi o centro de discussões acaloradas após sua desastrosa participação como jurado no programa Popstar da Globo no último domingo, dia 13/08.

Na postagem anterior, eu falei da minha torcida para o Cláudio Lins. E neste fatídico dia de apresentação, justamente Dia dos Pais, ele prestou uma bela homenagem "ao seu véio" com a emblemática canção Lembra de Mim. Todos gostaram, inclusive o ácido, mas não tão menos ótimo, João Marcelo Bôscoli (sim, falando em pais, filho da Elis Regina). Só que o embuste viajado do Zeca Camargo foi contra a corrente de uma forma, digamos, bem controversa e emburrecida. Você, leitor (a), deve estar pensado: "Ah, mas isso é a opinião dele. E gosto é gosto!". De certo! Mesmo eu sendo quase uma tiete do Cláudio, eu ainda tenho as faculdades perfeitas para considerar isso. Porém o problema residiu na justificativa do candidato a Boneco de Judas. Ora, preste bem atenção nas linhas que reproduzo abaixo tiradas do discurso dele no programa:

"Eu sou fã dessa família inteira. Mas quando você canta uma música do Ivan a referência é fortíssima. Eu fiquei lembrando mais do seu pai do que de você. É uma homenagem lindíssima, mas eu fiquei com aquela referência, mas no gol a gol eu sou o Ivan."

"E por isso eu não merecia o seu voto? Poxa!", lamentou Claudio, deixando Zeca sem palavras.

Nossa, eu fiquei chateada e desliguei a TV. "Ah, eu não vou perder meu tempo com isso mais não!", pensei! Porém não tardou para que as avalanches de críticas, repúdios, xingamentos e hostilizações começassem a aparecer nas redes sociais do Popstar e do próprio Zeca. E este último foi obrigado a deixar um texto tentando justificar o injustificável:

"[...] Minha expectativa era altíssima com todos - que acompanho desde o início do programa, que sou fã... Mas... e talvez por isso, deixei de dar duas estrelas para dois astros e explico. [...] E de Claudio Lins - que é um dos melhores atores da sua geração -... o risco foi ele ter escolhido uma música do próprio pai, que é um dos maiores nomes da nossa #MPB. É uma baita responsabilidade - e... bem, segue minha admiração absurda por ele, e o desejo sincero de que ela vá muito longe nesse #Popstar." (Texto publicado no Perfil do Facebook O Zeca Camargo, em 13 de agosto de 2017)

Adiantou nada. Na segunda, 14/08, todos os programas de fofocas estavam com essa pauta. E não é a primeira vez que este ser humano torna-se alvo de críticas duras. Basta buscar um pouco mais na memória sobre o texto que ele escreveu em um momento bem inoportuno a respeito do cantor sertanejo Cristiano Araújo (logo após sua morte trágica). Este é o carma dele até hoje, sendo constantemente alvo de boicotes por parte de vários músicos conhecidos. Entretanto, dada a nova história, tenho a impressão de que ele não aprendeu a lição.

Cabe-me, agora, dizer que Cláudio Lins cantou lindamente, bem linear, ao piano, com graça e estilo (como vocês poderão conferir no vídeo de react que deixarei no final da postagem). A trajetória dele tem sido irrepreensível até aqui. Contudo o somatório da última nota o deixou quase no rabicó da classificação. Mesmo com todo o empenho que ele coloca para ser um bom ator e cantor e imprimir suas próprias impressões nas interpretações das músicas, nada disso parece ser suficiente para calar a boca de quem tem algum olhar torto sobre sua carreira. É bem comum em entrevistas perguntarem como ele sente-se sendo filho do Ivan Lins. A resposta dele é genial:

"Eu não sei como é não ser!".

Sabe disso a Maria Rita também. E tantos outros filhos de pessoas consagradas. A grama dos vizinhos sempre parecerá mais verde do que realmente é.

***






Vou deixar também uma entrevista da Maria Rita, junto com seu irmão João Marcelo, ao Jô Soares em 2012. Ela fala muito bem dessa cobrança e comparação e como lida com isso. Vale lembrar que Maria Rita gravou uma canção escrita por Cláudio chamada Cupido.


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Popstar - Rede Globo - Torcida para o Cláudio Lins - #TeamClaudioLins


De uns tempos para cá a Globo tem investido em umas atrações menos pífias. A começar pelo Ding Dong do Faustão. Agora temos esse novo programa, Popstar, que nos mostra a faceta musical de famosos que são mais conhecidos em outras áreas. Se a situação brasileira, no geral, anda degradante, com figuras assombrosas como o golpista vampiresco Michel Temer, os defensores do Bolsonaro e a burguesia classe média arcaica a todo vapor, imagine a Cultura... Meu Deus, as pessoas andam a ofender de forma veemente Chico Buarque, Caetano e Gil, chamado-os de nomes inconfessáveis quase todos os dias, e a juventude está no fundo do poço fazendo companhia para a Samara do filme O Chamado. Então, qualquer pontinho fora da reta, mesmo sendo dessa emissora, já é um alento.

Sim, eu gosto de televisão. E assisto muito. Eu fui criada assim, lá na década de 90, assistindo reprises de boas coisas porque, graças a Deus, minha mamãezinha incentivou bastante o meu começar cultural. Sendo assim, o meu novo divertimento é esse programa do Plim-Plim,  aos domingos, lá pelas tantas do meio-dia.

E nessa onda dos pais, eu tenho que dizer que a minha torcida é todinha para o lindo aí do lado - o Cláudio Lins. Se você não sabe, caro (a) leitor (a), ele é ator, cantor, compositor, pianista e mais além. Já assisti muitas novelas com ele, aliás, todo mundo aqui de casa. Entretanto, neste momento, o lado musical dele está em evidência e o que tenho visto defini-se pelo deleite.

Bem, só pelo sobrenome já dá para ter uma noção. Ele é filho do grande Ivan Lins, que, por favor, dispensa apresentações (olha aí a playlist do lado para saboreá-lo.) e da Lucinha Lins, uma grande atriz consagradíssima, que também é cantora. O DNA familiar bateu e agregou geral, pois o moço tem a voz quase igual ao do pai, sério mesmo, e, se duvidar, é a versão geneticamente modificada para melhor, pois ele é bem mais afinado que o Mestre Pai.

Eu não sei se ele ganhará essa edição. Depois de umas cinco semanas, o público, acostumado à zoeira e a péssima MPB atual, devagarzinho, quase parando, começa a entendê-lo e conhecer a sua história. Eu detesto a participação do público quando trata-se de talentos musicais, pois é como dar o poder de decisão para um gambá com demência.

Enquanto ele durar no programa, estarei vidrada na TV.

Vou deixar os vídeos das apresentações dele com a Reação (React) de um youtuber muito bom, o músico Márcio Guerra Canto. As performances na íntegra estão no site e no aplicativo do GloboPlay (clique aqui). Tenho quase certeza que vão amar!

Primeira Semana - Com a música Dinorah, Dinorah, Ivan Lins (a voz está igualzinha!)


Segunda Semana - Com a música Corsário, João Bosco/Elis Regina


Terceira Semana - Fé Cega, Faca Amolada, Milton Nascimento & Beto Guedes


Quarta Semana - Fora da Ordem, Caetano Veloso


Quinta Semana - Expresso 2222, Gilberto Gil