terça-feira, 20 de outubro de 2015

Grandes Esperanças (High Hopes)

Cena do clipe High Hopes - Pink Floyd - 1994
... E lá para as montanhas, um dia, levarei minha alma, meu corpo e coração...

O desalento não poderia ser mais expressivo. Saudades de tantos acontecimentos nunca vividos, das músicas nunca tocadas, dos sorrisos que nunca floresceram.

Ninguém mais recita poemas e estes tornaram-se sinônimo de fraqueza. Os amores não são mais alimentados com palavras ricas, tecidas com fios de ouro. Padecem agora com onomatopeias ininteligíveis, beirando os rangidos de cães afoitos e raivosos.

A minha alma escuta em apenas uma frequência. E brilha em um espectro invisível aos outros.

Minhas histórias e peripécias pertencem a um mundo interior. E, externamente, ouço sons moribundos e entristecidos. É o estalar de ossos no frio, o frio da ignorância, do desamor, do instantâneo.

Cena do clipe High Hopes - Pink Floyd - 1994
Falta aquela animaçãozinha pelas conversas de boteco para discutir o brega bem escrito e cantado por Nelson Gonçalves. Mas que personagens entrariam nesse enredo? Pois bem, eis aqui as lacunas e os rabiscos da mente.

A vida de escritor não está nada fácil, nem dos renomados, nem dos independentes, muito menos daqueles de fim de semana.

"Não nos enxergam mais!"

Quase ninguém lê com o sabor da paixão na língua, com o sentimento do desbravamento,
da caça, do encontro e do deleite. Muitos são só números, quantidades, isto e aquilo...

Transportei-me para vales verdes encantadores. Voei para Grandes Esperanças, não as de Charles Dickens e sim as de Pink Floyd.

Sobrevivo das histórias que crio e das que escrevo (mesmo sem público), e das várias vidas que vivi e não me lembro.
Cena do clipe High Hopes - Pink Floyd - 1994

O mundo submergiu na lama da simplicidade deplorável.

E não há mais nada que possa ser feito neste século.

Um dia futuro, alguém, ou algo, olhará o céu e perguntará sobre a essência da humanidade. E sua resposta virá através de um livro manuscrito dourado e iluminado, das músicas que foram tocadas em notas de Bach, dos sorrisos que floresceram e dos amores alimentados pelas poesias - todos de uma época que, neste momento, é imemorial. 



***


High Hopes - Pink Floyd - Division Bell - 1994



High Hopes - Pink Floyd - P.U.L.S.E. - 1995 (com tradução em português)



Sobre a canção do Pink Floyd - High Hopes

Uma das músicas mais significativas na minha vida. Sua letra fala sobre um passado cheio de imagens, sons e pessoas. É a metáfora da saída para o desbravamento de um novo horizonte, incerto, mas cheio de esperança. É um saudosismo marcado em cada estrofe. 

A canção foi composta por David Gilmour (um dos mais geniais, para mim, guitarristas e uma das mais bonitas vozes do rock) e Polly Samson, sua esposa, para o álbum do Pink Floyd, Division Bell (sem Roger Waters) de 1994. É o penúltimo na discografia de estúdio do Pink Floyd.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Machismo nosso de cada dia - podcast do site Papo de Gordo

Há muito o que falar ainda sobre o feminismo. Nossas batalhas continuam a ser travadas. Mas o próprio incômodo que a maioria dos homens vomita em comentários machistas reflete a proporção e efeito da causa - muito ganhou-se, porém, ainda, existe muito terreno para conquistar!

***

Trecho extraído do site Papo de Gordo
#PAPO DE GORDO 159 – O MACHISMO NOSSO DE CADA DIA#

"Não é novidade pra ninguém que nós vivemos em uma sociedade machista, mas de que maneira isso impacta a forma como nos comportamos e nos relacionamos uns com os outros? Eduardo Sales FilhoMaira Moraes, Lucio Luiz, Dr. Tapioca e Eubalena receberam a convidada Cafeína, a diva do Pauta Livre News, para conversar sobre esse machismo nosso de cada dia. No programa de hoje, tente sobreviver a abertura mais machista de todos os tempos; aprenda o que é manterrupting, bropriating, mansplaining e gaslighting; saiba como as mulheres também podem ser machistas; descubra qual a diferença entre machismo e gentileza; jamais chame uma mulher de pitiática; e tente ensinar o Dudu a usar uma máquina de lavar roupas! Destrua os cintos de castidades e prepare-se para se divertir porque o Podcast Papo de Gordo está começando!"

Duração: 86 minutos

Podcast - Clique aqui!

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Dia de TPM: a bagunça do + Educação e outras barbaridades que só esse Brasil tem!

1. A Desilusão com o Mais Educação



O Programa Mais Educação é uma maneira de dar aos alunos mais carentes uma assistência extra escolar. É uma tutoria ou, em linguagem mais simples, aulas particulares para alunos menos favorecidos. Tudo no papel é lindo... Até você fazer a prova para a monitoria e passar.

E foi o que aconteceu com a escritora desse Blog e o começo de uma novela.

Fiz a prova da então monitoria e passei (juntamente com mais dois colegas do curso de Física, que também passaram). A prova consistiu em uma dissertação envolvendo os temas específicos do conteúdo do Programa. Um dia depois, mandaram um SMS para o celular de um dos colegas que fez a prova comigo - era a convocação para que a diretoria enviasse-nos para as devidas escolas. Até aí tudo corria bem.

Chegando ao local (que funciona apenas quatro horas por dia - serviço público brasileiro, trabalhando muito, como sempre!), percebi os primeiros sinais de uma total falta de controle e organização. As escolas eram escassas, longe, em lugares perigosos e, muitas delas, pouco acessíveis. Essas sempre sobram! Dadas as poucas opções, fui para uma escola mais distante da minha casa que o Lugar Tão Tão Distante. Assim, saí com um papel para cinco turmas, recebendo R$ 80,00 reais por cada uma, três vezes por semana, no horário da manhã.

A escola desse bairro retrata a falência das gestões das escolas de base. Parece uma prisão - crianças apáticas e banheiros precários. Até o Sol brilhava, naquela tarde abafadiça, de forma entorpecida. A única vantagem era que os ônibus passavam a todo momento.

Cheguei, apresentei-me e, para minha consternação, já havia uma monitora para a área de Matemática. Esta referida como "a filha de fulana de tal" (como alguém pode se direcionar a um profissional nesses termos sem que isso pareça um jogo de cartas marcadas?). Por fim, mandaram-me de volta para a Secretaria Gestora do Programa - precisavam de uma monitora que desse aulas de TODAS AS MATÉRIAS - E, magicamente, descobriram essa necessidade naquele momento (escravidão, bem-vinda!).

Voltei então com "o rabinho entre as pernas" e fui direto para a geladeira infinita.

Simples assim: eles não possuem o controle de quais escolas precisam de monitores e quais as áreas específicas. Reclamei bastante e falei muito. Levei um "Ligo para você avisando quando surgirem vagas." como um "Pessoas que reclamam e não nos paparicam não vão ter essa oportunidade assim." A verdade é que se você não for indicado por um diretor ou tiver alguma contato, dificilmente conseguirá escolas mais perto de casa ou mesmo trabalhar em qualquer uma (Meus colegas, que chegaram primeiro do que eu para pegar escolas, conseguiram e já estão trabalhando.).

Decepção total! Obviamente o dinheiro é importante e necessário, contudo as crianças poderiam aprender e ter oportunidade de conhecer e fixar conteúdos, principalmente nas áreas de Matemática, Astronomia e Linguagem. Não estou gabando-me (talvez um pouquinho).

Por que existe essa prova se não há vagas suficientes para monitores? Que baita cilada! Bela maneira de começar a ensinar - não ensinando NADA!

Estou aguardando... E, provavelmente, ficarei só nisso.

2. A zeladora acusada de furto por ter comido o bombom de UM DELEGADO MISERÁVEL

Detesto a área do Direito e provavelmente terei pouca simpatia por qualquer um que queira estar nessa profissão. Não só pela arrogância, convencimento e suas carinhas de tiranos. A razão é que você estará, com altíssima possibilidade, diante de doentes por poder e capazes dos atos mais bárbaros em nome da supremacia dos altos cargos e status social.

Da próxima, desejo-te que te engasgue, excelentíssimo PATIFE! 

Zeladora é autuada por furto em RR ao comer chocolate de delegado da PF
Zeladora que trabalha na Polícia Federal foi flagrada em sala por câmeras.Delegado entendeu que mulher cometeu furto ao comer chocolate dele (G1).



domingo, 4 de outubro de 2015

Rock In Rio 2015 - Balanço Geral

Mais um Rock In Rio aconteceu e a constatação é óbvia: perdeu-se muito da sua essência. Porém essa edição poderia ter sido formidável, afinal, aniversário de 30 anos do festival... Só que não foi bem assim...

Dias: 18, 19, 20, 24, 25, 26 e 27 de setembro de 2015.

Atrações

1 - Queen (18 - Palco Mundo) - Tirando o Adam Lambert, meus queridos Roger e Brian continuam bons. Mas a sabedoria do John Deacon em fugir de presepadas continua intacta.
2 - Metallica (19 - Palco Mundo) - Continuam bons, mas andam dando sinal de cansaço.
3 - Mötley Crüe (19 - Palco Mundo) - Atestado definitivo de aposentadoria urgente!
4 - Paralamas do Sucesso (20 - Palco Mundo) - Ótimos como sempre! Já fui a um show deles e continuam com a mesma energia.
5 - Elton John (20 - Palco Mundo) - Impecável!
7 - Rod Stewart (20 - Palco Mundo) - Excelente!
8 - John Legend (20 - Palco Sunset) - Muito bom, apesar de um show mais intimista.

Dia 24 - Não vi nenhum. Não são a minha praia - System Of Down, Queens Of The Stone Age, Hollywood Vampires e CP 22.

9 - Faith No More (25 - Palco Mundo)- Excelentes, apesar da quase morte do querido doidão Mike Patton e do público morto f$%&$$#... 
10 - Slipknot (25 - Palco Mundo) - Não curto, nem pelas músicas e nem pela maioria do público. Mas os caras são inteligentes.

Dia 26 - Não vi nenhum, apesar do Lulu Santos ser ótimo. Do resto... Hahahahahahahahahahaha... (Rihanna, Sam Smith, Sheppard)

11 - A-ha - (25 - Palco Mundo) - Surpresa! Eu amo a-ha, tenho tantas coisas da banda, mas não esperava um show tão bom!!!
12 - Katy Perry (25 - Palco Mundo- Quando vi a guitarra borboleta, desliguei a TV. Não dá... Meu Jesus na cruz!!!

Organização e preços

Pensei e repensei. Ingresso, pelas atrações, tudo bem, falando, claro, de quantidade de atrações e não pela qualidade. Porém comida superfaturada, meio de transportes ruins, sacrifício imenso para ir, furtos dentro do evento, etc, etc. Fora ainda os escândalos pelas condições de escravidão dos empregados das empresas terceirizadas de alimentos do festival, vide a tal Batata do Cone. Vergonha! Melhor esperar um show isolado ou ir, um dia, para o festival Hard Rock Calling em Londres! Se liga, Rio! As Olimpíadas estão bem aí!

Para saber mais:

Régis Tadeu - Minhas impressões a respeito do que assisti do “Rock in Rio 2015”: shows da sexta (18/9) Rock in Rio registra cerca de 50 casos de furto em seu primeiro dia MTE diz que lanchonete tinha trabalho análogo à escravidão no Rock in Rio