quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Conversas de ônibus...

O transporte coletivo é motivo de impropérios e maldições dia após dia, em todas as manhãs, tardes e noites quentes e abafadiças. Por outro lado, não há maneira mais significativa de observar o comportamento das pessoas, em seu melhor ou o seu pior.

O pior, todos nós, usuários, sabemos muito bem, desde a tenra idade. O melhor, além dos acontecimentos hilários, sem marcas de violência, são as conversas provenientes daqueles que nunca vimos na vida (e, muito provavelmente, nunca voltaremos a ver nesta mesma).

Pois bem, era uma ensolarada e aguada tarde, um inferninho, antes dos acontecimentos fatídicos da aula grosseira. Estava pensando em fazer uma torta, daquelas americanas, cheias de filamentos, tipo desenho do Pica-Pau. E o mocinho vendedor de revistinhas entrou e leu exatamente os meus pensamentos. Comprei, pela bagatela de R$ 1,00, várias receitas de adoráveis e apetitosas tortas.

Foi assim, notando a compra empolgada, que a moça ao lado (que antes falava sobre aulas, alunos e alienígenas ao telefone) começou uma conversa muito interessante:

 - Não sei cozinhar! Até fiz um curso de culinária...
 - Eu também não! Respondi prontamente.  - Mas essas tortas eu quero fazer.

Ela continuou...

 - Quem cozinha em casa é o meu marido. O meu pai também é um ótimo cozinheiro. Trabalho o dia todo e o meu marido apenas à noite. Quando chego em casa, tudo está pronto. Eles cozinham divinamente bem. Às vezes meu pai manda comida.

Eu já estava, a essa altura, maravilhada!

 - Que bacana! Isso é realmente fantástico!


 - Sim, ele casou comigo sabendo! Como eu disse, eu não sei cozinhar, lavo mal a minha roupa. E aí perguntei a ele, você quer mesmo assim? E estamos juntos há 13 anos.

E eu amei instantaneamente toda a história...

 - Ainda bem que os tempos mudaram! Isso é motivador!

Porém, todos os relatos chegam ao fim, e esse tinha uma parada de ônibus para terminar.

 - Tenho quer ir! Tchau!!!

E ela, simpaticamente, respondeu:

 - Tchau, boa aula!

Bem, como sempre vejo nos comentários das páginas feministas que sigo, não é questão de ser relapsa e sim modificar o pensamento patriarcal e machista: lava quem sujou e cozinha quem sabe. Dividir as tarefas é a cartilha da nova e sensata família.

Óbvio que ainda vão existir as defensoras e os defensores da família tradicional arcaica, da comida servidinha para o marido, passar, lavar e cozinhar como boas Amélias. Haverá os homens que têm medo das feministas e como arma sórdida, vão falar que são mal amadas, solitárias, etc, etc. Só que o bálsamo da vez é presenciar os preconceitos que caem e as amarras que são desfeitas, devagar, mas constantemente.

13 anos é um número e tanto, significativo e emblemático.

E contra dados, fatos e números, não há argumentos (pelo menos, genuinamente, inteligentes e sensatos).

Uma boa história deve ser partilhada, assim como deliciosos pedaços de torta.

E, agora, quem pode conosco, hein? 


6 comentários:

  1. Oi Tici!

    Puxa, a quanto tempo não venho aqui!!

    Seu relato faz sentido...
    Acho que se a esposa trabalha fora, nada mais justo que o marido ajudar nas tarefas domésticas...

    Minha esposa não trabalha fora, só trabalha em casa, e muuuuito, pois cuidar do Samuel, de quatro anos, não é fácil...
    Mesmo assim, eu ainda cozinho sempre, e olha que sou praticamente um chef!!!!!


    Um lindo ano novo!
    Cheio de tortas e comidinhas feitas por um namorado que cozinhe bem!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querido Paulo Mansim! Pois é, a vida em família exige divisão de tarefas. E que bom que você cozinha, porque além de ser divertido, é uma verdadeira alquimia preparar os alimentos. Sim, a família de hoje ruma a uma consolidação da divisão de tarefas, do trabalho feminino fora de casa, dos cuidados com as crianças partilhados. Obrigada e feliz ano novo para você também! O Café sempre estará aberto aos seus comentários! =***

      Excluir
  2. Respostas
    1. Amiga querida!!! Você voltou! Que saudades! Eu estou levando a vida... Nem tão mal e nem tão bem, quer dizer, nem tão bem mesmo. Mas continuo na caminhada, árdua e infinita... E você? Conte-me!

      Excluir
  3. http://eraumavezmamae.blogspot.com.br/ to akii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que seu blog voltou!!! Notícia muito boa!!!

      Excluir

Querido (a) leitor (a), obrigada por ler e comentar no Café Quente & Sherlock! Espero que tenha sido uma leitura prazerosa. Até a próxima postagem!