quinta-feira, 28 de junho de 2012

Dark Side Of Moon - Loucura - Van Gogh, A Noite Estrelada, A Orelha, Rodka e Eu...

Fecho os olhos...

E a delicada insanidade que habita meu mundo cinza e melancólico visita-me.

Um turbilhão de lembranças reflexivas e não vividas.

Brilha, vertiginosamente, a quietude intrigante e caminha em mim, sutilmente, até tomar conta da minha alma.

Nos desvarios noturnos e pesadelos angustiantes, cada pedaço desse limbo vai sendo construído - uma ponte para um mundo além - o lunático está na grama.

Então veio-me Noite Estrelada, a falta da orelha de Van Gogh e os sentimentos penetrantes de Rodka.

Somos parecidos, um pouco ali, um pouco aqui - Van Gogh e os devaneios que transformaram-se em cenários cheios de tons pastéis, salpicados por distorcidas estrelas da aurora, pinceladas no frio incandescente que transformava cada suspiro em névoa gélida. A orelha que se foi, um ato de desespero - Rodka, as febres e o asco do mundo, das pessoas e suas vulgaridades transmitidas através de seus sorrisos malditos e falsos...

Meu reflexo no espelho, a dor da imagem - corto-me até fluir a última gota de sangue.

Se a loucura ronda, aflige e castiga, também abre universos perfeitos, com notas harmoniosas, bucolicamente amáveis e pacíficas.

Na noite fria, caminho. A estrada não é tão diferente de um cenário de guerra... Destruo meu espírito, amo intensamente, silenciosamente e devagar, sofro, caio... Morro por alguns instantes. Ressurjo das cinzas.

E, assim, a insanidade se faz - amiga presente e única.

E Brain Damage e Eclipse tocaram.



Informações:

1-Em 23 de dezembro de 1888, véspera de Natal, após uma discussão com Gauguin [pintor francês], Vincent Van Gogh cortou um pedaço do lóbulo da sua orelha esquerda e fez dois autorretratos [um deles é este que está na postagem].

2-Rodka ou Rodion Românovitch Raskólnikov é o personagem central do livro Crime & Castigo de Dostoiévski.


Caro (a) leitor (a), você poderá se interessar, também, pelas postagens da mesma linha:

Dark Side Of Moon - Morte - Ruslana Korshunova
Dark Side Of Moon - Tempo - Einstein, A Relatividade, A Velhice e Meus 27 anos...

19 comentários:

  1. Eu sempre leio teus posts, pois são bons.
    Vincular a loucura do pintor com as referências do Pink Floyd, pelo menos pra mim, tem o maior sentido. Lembre-se, no início da banda tinha o Syd Barret que era um homem atormentado e deslocado. E o Roger Waters creio que também seja, na sua medida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, querido Luciano! Pois o Syd Barret, para mim sempre será o crazy diamond, o Roger é um gênio, mas sou fã mesmo é do Gilmour. Pink Floyd tem esse misticismo, essa aura de 'loucura' e cultura.

      Excluir
  2. Bah, tô super a fim de ler esse clássico d literatura, Crime e Castigo. Mas tenho alguns livros na frente ainda. O Roskólnikov me cativa.

    É legal quando em momentos da vida nos identificamos com alguns personagens da vida real, ou ficção. Tenho isso também. Certa vez uma psicóloga me disse que minha personalidade era baseada nos personagens de alguns livros que li. Já que não tive uma imagem paterna presente em casa. Achei interessante :D

    Beijãoo

    Jim Carbonera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, querido Jim... Crime e Castigo é um dos livros referência para mim. Ráskol é um dos personagens mais intrigantes e ao mesmo tempo cativantes nessa estrada da literatura. Ele, como disse, tem alguma coisas minhas [ou eu tenho algumas coisas dele].

      Excluir
  3. Frankinha minha amiga, esse maluco era doido hein! Muito melhor ouvir bobagem do que ser surdo não acha? Tudo bem que ele só cortou a orelha por fóra, hahahahahahaha. Diz a lenda que ele tinha uma olrelhona de abano e seu apelido era Dumbo Van-voar Gogh, hahahahahahha.
    Mas brincadeira à parte, você é uma menina muuuuito culta e inteligente, que se interessa por assuntos diversos e cria textos muito bons!
    Parabens viu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahaha, Mansim! Muito obrigada pelos elogios! Muito gentil.

      Excluir
  4. Olá T. S. Frank,

    Tomei conhecimento de seu espaço através do blog do Jacques. Achei muito interessante, sou seu seguidor.

    Quanto à sua postagem digo que é fora muita inspiração, e é provida de sentimento. Parabéns! A propósito, bela canção escolhida, tem muito bom gosto. Afinal, Pink Floyd é sempre uma boa pedida.

    Um beijo a você e até mais...

    Anselmo

    http://brevescronicas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anselmo! Obrigada por seguir o CQ&Sherlock! É um prazer tê-lo por aqui.
      Dark Side Of Moon é uma obra que inebria a alma, trazendo-nos os medos mais comuns do ser humano. Obrigada pelos elogios!

      Excluir
  5. Ticy-Miga!
    Que saudades!
    Muito bem-escrito: o retrato de uma melancolia impar, aquela que se faz na solidão da companhia de Van Gogh e seus monstros.
    De insanidade, todos temos um pouquinho, ou não seriamos os tais seres humanos, uns tais que habitam o Planeta que chamam de Terra (onde tem mais água), e ainda não reconhecem o gênio de um pintor em vida.
    É de cortar a orelha para não ouvir, ou reconhecer que somos apenas um pouco insanos, insones ou não.

    Beijos e fica bem, tá bom?
    Qualquer coisa, me avisa! Ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miga, saudades também! É um retrato pálido e ao mesmo tempo vivaz, com essas cores quentes, porém de uma tristeza e solidão intrínseca... É bem verdade, como aquele velho ditado - de médico e louco... [isso me lembra Mr. Hyde...]...

      Excluir
  6. Olá T.S,

    Procurando sobre o curso de física e astronomia na net, acabei achando o seu blog...

    Primeiro vou elogiar porque realmente gostei demais. Lindo! Você escreve muito bem, inspira reflexões sinceras, divertidas e profundamente humanas. É bom topar com um ser humano de verdade nesse mundo de tanta falsidade, mentira, ilusões e inúteis superficialidades...

    Além de demonstrar uma cultura admirável e bacana da gente ver por aí em alguém tão jovem ainda! (falou a velha agora!) rsrs

    Bom, agora vou dizer porque gostei do blog e, por extensão, mesmo sem te conhecer de pertinho, de você também! ;)

    Como disse, vim parar aqui em busca da tal astronomia... Fui lendo primeiro seus posts sobre isso, depois sobre sua caminhada, suas músicas, suas dicas, seus livros... com tudo me identifiquei, me interessei.

    Tenho 32 anos e sou bióloga, minha primeira faculdade... Mas, assim como você, hoje me vejo às voltas com meus sonhos, ou melhor, com enigmas interiores, crenças, ilusões e... sim, os sonhos!

    Tentando alcançá-los, portanto, mas ainda num mar tenebroso...

    Contas que vencem e nem querem saber do meu bom ou mau humor, da minha não-realização profissional ou das minhas viagens mais fantásticas ao País das Maravilhas que criei especialmente para mim... "É fim do mês, é fim do mês, do fim do mês, já sô freguês..." (Raul Seixas). Então, como um ser humano "normal" também ando sempre às voltas com a vida "real" e a "ideal"!

    E "Dois problemas se misturam
    A verdade do Universo,A prestação que vai vencer!"

    Mas, nem por isso, deixo também de escrever meus versos, criar e "des-criar" meus blogs, cantar minhas canções de olhos fechados e olhar pro céu sonhando um dia decifrar as estrelas...

    Vou tentar vestibular esse ano (de novo!) e ainda nem sei bem a forma do sonho que tenho... (Tenho oscilado igual a um pêndulo justamente porque o ideal e o real se misturam demais!)

    Um dos caminhos que pensei foi a física... mas, será?! (Gostaria até de conversar mais com você a respeito, é possível?!)

    A família nunca entende mesmo! Depois de tanto tempo estudando... Pra quê? Por que?

    Torço pra você não desistir de você! Assim como torço e espero jamais desistir de mim mesma!

    E aqui vai uma pequena dica: Permita-se sempre o direito de mudar de ideia quando bem entender. Para qualquer caminho, que exista sempre um coração, Teu coração. Caso contrário, não há vergonha ou sentimento de fracasso em abandoná-lo. Muitos pensamentos nos vêm e às vezes é preciso apenas silenciar e ouvir o que o silêncio nos traz... difícil, mas promissor!

    E, por favor, de vez enquando, continue por aqui a escrever...

    Você salva a madruga de muita gente! Se é que isso te consola ou te traz um pouquinho mais de esperança pra um sorriso. ;)

    Grande abraço,

    Michelle (Curitiba/PR)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Michelle! Uau! Muito obrigada pelos elogios, nem sei o que dizer... Bem, como cê disse no final, saber que há pessoas que compreendem e sentem os textos é meu consolo de manter a escrita e continuar nessa estrada do emaranhado de palavras encharcadas com sentimentos do dia-a-dia [mesmo elas trazendo muita tristeza].
      Esse é o dilema de quem se viu em uma graduação não desejada... E, depois de certo tempo, está na segunda. Muitas vezes sinto que não aguentarei por mais tempo todas essas ‘pequenas’ coisinhas da universidade e seus pormenores hipócritas e burocráticos, dessa gente preguiçosa e sugadora que nela trabalha, dos professores iconoclastas cheios de si e que não ensinam nada e dos alunos cada vez mais ‘vazios’ e discriminadores.
      Hoje é um desses dias em que eu não quero sair da cama, tédio e desesperança. A Astronomia parece longe, longe dessa realidade... Dessa Física que, pelo menos aqui no Maranhão, é tratada com tanto desprezo pelos ‘doutores’ que citam Feynman e que tiraram da vida deles o que Feynman sempre expressou – a ciência humilde.
      Só que a Astronomia é muito mais do que isso [tenho que pensar todos os dias]. E, para chegar nela, tenho que superar a Física e todos os seus problemas [caso do Maranhão e da Universidade Federal do Maranhão - UFMA].
      Paralelo a esse sonho-sentido de vida, há a paixão pela literatura e a nobre arte de escrever. Não sei, posso ser as duas coisas, podemos ser o que quiser... Não é mesmo? Só que, como cê disse, há as contas, as cobranças... Eu vivo o meu inferno hoje - morar em lugares ruins, com gente péssima, numa cidade que maltrata seu povo, que acaba com sua história e afaga os ricos cada vez mais... É como ver uma guerra – o mesmo sol e vários mundos... É o preço que pago todos os dias por essa escolha ‘ousada’.
      A Astronomia é linda em todos os sentidos, melhor ainda quando acha-se as pessoas certas e, talvez, aí em Curitiba a filosofia de vida seja outra e a Física seja voltada para a Astronomia. Mas, se um dia puderes, curse Astronomia... É garantia de mais sorrisos... Para nós que queremos tocar as estrelas.
      Fico muito feliz por ter se identificado com a trajetória, com as histórias e com o presente citados aqui no CQ&Sherlock.
      Espero vê-la por aqui mais e mais.
      Antes, Michelle, cê não deixou contato, e-mail, facebook... Se puderes e for de sua vontade, add. o MSN do CQ&Sherlock ou add. meu perfil do Facebook. Gostaria de trocar mais ideias com você!
      Beijos!
      T.S. Frank

      Excluir
  7. Boa noite, T.S..
    Acho que todos nós nos sentimos melancólicos ou sozinhos de vez em quando; a solidão interior é parte de nossa ininteligível condição humana.
    Não creio que algum dia eu venha a entender porque razão Van Gogh resolveu do nada cortar a orelha, mas isso só ele mesmo pra saber.
    Pink Floyd sempre é uma boa pedida para relaxar ou simplesmente apagar o que o dia deixou de ruim em nós.
    Abraço, T.S..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jacques! É... Acredito que parte da população sim... Só que tem a tristeza crônica, aquela inerente... Ela não vem de vez em quando, ela vem em horas do dia, todos os dias, basta apenas uma lembrança ruim, assim, como esse sentimento de solidão... Típico da sociedade em que vivemos... Ao redor milhões, mas, na verdade, ninguém... O desespero é algo tão enigmático como as coisas que fazemos sob o efeito dele.

      Excluir
  8. amiga q luxo q está o sherlock kerido!..amei...! nunca deixou ele morrer ..vitoriosa..rss adoreeeei tudo...!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida Prii! É, it's my baby!

      Excluir
    2. Como é bom tê-la de volta! Adoro cê, "LOURA"! Obrigada!

      Excluir
  9. A incrivel e apaixonante dor do Rodion foi o que me fez apaixonar pelo livro que ainda estou lendo livros bons como esse que me lembra da minha delicada e deliciosa melancolia e dor que me mata aos poucos todos os dias a todo momento, leio vagarosamente aproveitando cada surto psicologico que ele tem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lennon!
      Então, Rodion tem essas características tão marcantes - febres, suores, pesadelos... Acabamos por sentir tudo isso. Recomendo que veja a série da BBC Crime & Castigo.

      Excluir

Querido (a) leitor (a), obrigada por ler e comentar no Café Quente & Sherlock! Espero que tenha sido uma leitura prazerosa. Até a próxima postagem!