terça-feira, 10 de abril de 2012

Sybil Vane

Angela Lansbury como Sybil Vane. O Retrato de
Dorian Gray, 1945
Lá na escuridão,
[De ruas sujas e andarilhos,
Dor e desilusão]
Um feixe de luz
Incandescente
Movia-se.

Becos, tavernas
Sorrisos de escárnio
Vulgaridade
E a rosa amarela
[em meio a lama]
murmurava
doces notas
amadeiradas.


Quem poderia resgatá-la?
E colocá-la em seu devido lugar?
[sem desejar-lhe a carne para impetuosos
momentos passageiros]

Seu erro, seu calvário.
[folhas de Wilde]
Seu amor puro e ingênuo,
becos sem saída.

E as águas a levaram...
Junto com lágrimas
E futuros.

E a cada dia,
[na rua de tavernas e becos]
Sybil Vane
Renasce.

T.S. Frank

18 comentários:

  1. Achei esse post através do Facebook [grupo Blogosfera] e preciso dizer que achei lindo seus versos repletos de boas referências! Lindo mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Olá querida,

    Tudo bem? Adorei o comentário lá no blog e também o seu espaço. Seus escritos revelam um desprendimento sobre si mesmo que é digno de aplausos em pé. Esse "folhas de Wilde" revelou o próprio salvo-conduto.

    Adorei o do amor e à noite volto por lá. Acho que podemos realizar parcerias. Dá uma olhada nos outros textos para discutirmos essa possibilidade.

    Beijos.


    Lu
    http://www.lucianasantarita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, querida Luciana. E obrigada pelos elogios. Sim, podemos discutir essa possibilidade.

      Excluir
  3. Gostei muito , há tempos que não leio algo bom assim!
    parabéns

    ResponderExcluir
  4. Que beleza de postagem Tí gostei muito do texto! Parabens minha amiga!

    ResponderExcluir
  5. Voltou com tudo em Frank, lindo esse poema, ou seria poesia? Mas muito legal mesmo.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, querido Paulo Cheng! Bem, eu digo que é poema, pois são versos livres, sem metrificação específica, rimas AB BA e etc...

      Excluir
  6. Gostei muito dessa parte: "Seu amor puro e ingênuo, becos sem saída."

    Não sei se foi a intenção, mas amor puro e ingênuo é realmente um beco sem saída. Não há para onde correr. Só regressar e recomeçar.

    Beijão

    ResponderExcluir
  7. Ticy,

    Gostei, heim!? Intenso...

    Sobre seu comentário lá no blog, de fato estão encurtando as etapas... aliás, estão pulando algumas delas!

    O que mais me preocupa é, dentre vários aspéctos, essas responsabilidades com o corpo e a mente. Estão se "violentando" com essa antecipação(falo mentalmente tbem). Sei lá! Muitas vezes as pessoas pensam que sou radical, mas quem me conhece sabe que de radical eu tenho NADA! Sou super liberal em muitas questões, mas como já falei, crianças devem ser crianças e adolescentes, devem ser adolescentes e devem ser ensinados pelos pais e escola(primeiramente a família... sou categórica nisso. Nada de ficarem transferindo as responsabilidades).

    Enfim, espero que as coisas melhorem. Mas... sacomé, né!? Tá difícil!

    bjks

    ResponderExcluir
  8. Miga!
    Nossa! Que lindo!
    "Folhas de Wilde" em pleno outono.
    Aquilo que padece e compadece.
    Um amor que cai como um anjo sem asas, assim, sem saída, sem nada, apenas amor que cai.
    Maravilhoso!
    Imagine esta cena real: eu, lendo este poema (!!!), de madrugada, tomando meu chá inglês com leite! Sublime, Ticy! Sublime!

    Grande beijo e te cuida, tá bom?

    PS.: !!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, querida Cissa! E eu bem que gostaria de estar tomando chá inglês, na madrugada... Sonho... Sonho... Calmaria.

      Excluir
  9. Ah! Adorei que tu e a Luluzinha Santa Rita estão conversando, ela é uma pessoa muito especial e querida, embora a conheça há pouco tempo, e tu, bem..., creio que não precise te apresentar para ti! hahaha! Mas é minha Miga de coração!
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, estamos a trocar uma ideias... :D Adoro você, cê sabe...

      Excluir

Querido (a) leitor (a), obrigada por ler e comentar no Café Quente & Sherlock! Espero que tenha sido uma leitura prazerosa. Até a próxima postagem!