sábado, 21 de abril de 2012

Da imagem que perdeu-se...

Sigas tua intuição! [voz interior...]

Depois de uma semana em que constatei que qualquer semelhança entre um Pokémon e minha pessoa não tratava-se de mera coincidência, poderia ter evitado qualquer saída de casa.... Mas...
É certo - quando a auto-estima está mais baixa do que a natalidade do Japão [e a lei de Murphy ronda], evite sair com aquela amiga loira para a balada! Além de dinheiro perdido e aborrecimentos, você ganhará o status de vela da noite...


Minha imagem soa apática, disso eu sei. Em vinte e poucos anos nunca fomos melhores amigas.

Mesmo que as pessoas não saibam [e como culpá-las por não saber?], qualquer apontamento já é motivo para uma consulta nada agradável ao espelho.

Toda vez que lembro-me de imagem, beleza [falta dela], vem-me os versos tristes de Cecília Meireles:

Retrato

Eu não tinha este rosto de hoje, 
assim calmo, assim triste, assim magro, 
nem estes olhos tão vazios, 
nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força, 
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança, 
tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

A solidão, o coração partido, o amor que fracassou [desacreditado e cunhado apenas no interesse físico do outro] são as entrelinhas dessa imagem monstruosa que teima em crer que um dia o 'velho abrigo da tempestade' chegará - manso e gentil. 

Toda mulher, mesmo a mais despojada, sente essa necessidade de sentir-se atraente e, consequentemente, quando sua imagem está em baixa, uma carga de desamor próprio instaura-se de maneira energética. 

[pensei muitas vezes, nesses dias, que o tal amor desacreditado merecesse alguém condizente com a beleza que ele possui]

Dias difíceis, eu sei. E todas as experiências são válidas, mesmo que péssimas.

Dia após o outro.

Vai passar. 

6 comentários:

  1. Sinceramente não sei o que dizer, mas desencana, vc é uma garota bonita, inteligente, e não vai ser uma noite malfadada que tirará esse brilho de ti, nada como um dia após o outro, relaxa, ok?

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois, querido Paulo Cheng! Desencanei! hahahahaha! Tipo, é aquele dia em que você não deveria ter saído de casa... Lei de Murphy... E carry on!

      Excluir
  2. A única pessoa que pode se fazer enfraquecer é nós mesmos. Ninguém nos rebaixa se não houver o nosso consentimento. E você está longe de merecer esse baixo astral.

    Enfim, palavras não adiantam anda, se a pessoa não se fizer engrandecer.

    Beijãoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse, vai passar... Beijos, Jim!

      Excluir
  3. Não sei dizer qual é o motivo de sua efêmera queda na auto-estima, mas lhe asseguro que ela é totalmente infundada.
    Alguém com tanto talento, inteligência e bom humor não tem porque ficar para baixo.
    E esses momentos ruins tem seu lado bom: eles passam e nos revelam nossos amigos de verdade.
    Abraço, T. S..

    ResponderExcluir
  4. Ticy, miga!
    Quem é especial não se olha no espelho, é o próprio espelho, pensa nisso.
    Grande beijo!

    ResponderExcluir

Querido (a) leitor (a), obrigada por ler e comentar no Café Quente & Sherlock! Espero que tenha sido uma leitura prazerosa. Até a próxima postagem!